La-7 1/72 Weekend Edition (Eduard 7425) e Acessórios

Obrigado aos nossos patrocinadores! Eduard, Luckymodel, Hobbyterra, IBG, Hobbyeasy, Modelcollect, AK, Hataka.
meianoite2
Plastimodelista
Mensagens: 1368
Registrado em: 04 Out 2011, 14:56
Localização: Ilha do Governador, RJ

La-7 1/72 Weekend Edition (Eduard 7425) e Acessórios

Mensagempor meianoite2 » 15 Dez 2014, 02:16

Peguei pra fazer o review, me animei e está na bancada.

Primeiramente, algumas considerações sobre o mesmo (texto que foi pro nosso in-box review):

La-7 1/72 Weekend Edition (Eduard 7425)
http://www.eduard.com/store/Eduard/La-7 ... param=la-7
http://www.eduard.com/store/out/media/7425.pdf

Imagem

La-7 Weekend 1/72 Zoom PE (Eduard SS520)
http://www.eduard.com/store/Eduard/La-7 ... param=la-7
http://www.eduard.com/store/out/media/SS520.pdf

Imagem

La-7 Weekend 1/72 Mask (Eduard CX405)
http://www.eduard.com/store/Eduard/La-7 ... param=la-7
http://www.eduard.com/store/out/media/CX405.pdf

Imagem

O La-7

O Lavochkin La-7 foi o ponto culminante do desenvolvimento de uma importante familia de caças soviéticos da Grande Guerra Patriótica que começou com o Lagg-1. Junto com os Yaks, formou a espinha dorsal da força de caças que ajudou a repelir a Luftwaffe dos céus na Europa Oriental.

O projeto do La-7 incorporou ao já bem sucedido La-5FN melhoramentos na aerodinâmica e uma maior participação de metal na sua estrutura. Esses avanços melhoraram significativamente o desempenho: o La-7 era mais veloz e tinha uma taxa de ascensão consideravelmente maior que os FW-190 A-8 e Bf-109G-10 alemães do final da Guerra, especialmente em baixas altitudes. Extremamente manobrável, o La-7 foi considerado um dos melhores caças do mundo nessa faixa operacional.

A despeito do importante papel desempenhado na Guerra e do seu alto desempenho, que garantiu uma baixa taxa de perdas por atrito em combate, os La-7 rapidamente saíram de serviço. Sua construção em madeira não previa uma vida útil muito longa, especialmente porque aditivos antifungo deixaram de ser aplicados aos elementos estruturais. Em pouco tempo, praticamente todos os aviões literalmente apodreceram e foram descartados.

A partir de 1946 os regimentos de La-7 começaram a receber os novos La-9 e La-11, aparentemente semelhantes, mas que eram fundamentalmente diferentes com estrutura inteiramente metálica e asas de fluxo laminar. Mas essa já é outra história...

O kit Weekend

O La-7 foi lançado pela Eduard originalmente em 2004 e recebeu na época muitos elogios pela acurácia e facilidade de montagem. Desde então tem sido o kit “de referência” para os modelistas que desejam uma réplica na escala deste importante caça da VVS.

Dez anos depois a Eduard relança o kit, agora em uma versão “Weekend”, com preço reduzido e com menos mimos que as suas tradicionais versões Profipack. O que vem na caixa?

Uma árvore com 59 peças, em estireno cinza;
Uma árvore com 05 peças transparentes, também em estireno;
Decais para duas versões de pintura; e
Um jogo de cintos de segurança “superfabric”

Imagem

As peças são muito bem moldadas, indicando que os moldes foram bem tratados nessa década de existência. As superfícies das asas, fuselagem e profundores são muito bem polidas, algo incomum em kits modernos. O detalhamento é bastante adequado à escala. As linhas de painel são em baixo relevo bastante sutil e representam bem a estrutura do avião – afinal, não se deve esperar muito detalhe de superfície em aviões com a estrutura básica em madeira moldada, que uma vez pintada fica monotonamente lisa mesmo. O trem de pouso é suficientemente delicado e as rodas são adequadas à escala. O interior é suficientemente bem detalhado para a escala, especialmente se se deixar o canopi fechado. As laterais do cockpit são em alto relevo, que aparecerá o suficiente com uma combinação de washes e drybrushes na fase de pintura. Um painel em decal adiciona ainda mais detalhe ao painel em relevo. Um assento bem moldado, placa de blindagem, antepara, um cilindro de ar comprimido, um manche e uma pedaleira completam o cockpit, que pintado fará um bom efeito. Os cintos de segurança em papel “superfabric” são uma novidade nos “weekend” que adiciona bastante realismo ao kit, deixando-o praticamente completo para uma montagem rápida.

As transparências permitem montar o canopi fechado ou aberto, e um colimador também é oferecido. Moldada em plástico transparente, a peça evita a necessidade de se adicionar o vidro refletor em acetato como em vários kits.

Os decais são muito bem impressos e compreendem, além das marcações de identificação, os poucos estênceis que os soviéticos aplicavam em suas aeronaves. Outra “novidade” em kits Weekend, que usualmente só trazem uma opção de decoração, temos desta vez duas versões:

A. Lt. Col. Filipp M. Kosolapov , CO, 937th IAP / 322nd IAD, Prague – Kbely airfield, Czechoslovakia, May 1945
B. Maj. A. V . Alelyukhin, 9.GIAP, 1945

Ambos seguem o padrão normal dos La-7, AMT-11/AMT-12 sobre AMT-7. A opção A traz uma “tulipa” no capô do motor e o cubo de hélice ambos em vermelho, e faixas diagonais brancas nas asas e no leme. A opção B tem a porção de vante do nariz e o cubo da hélice em vermelho e um coração vermelho nas laterais do capô do motor. Uma inscrição dedicando o avião ao seu piloto, cortesia da Zavod 41 ao então subcomandante do 9º Regimento da Guarda, Aleksei Alelyukhin.

As instruções são suficientemente claras, seguindo o padrão gráfico usual da Eduard, compreendendo um esquema das peças oferecidas, diagramas de montagem e desenhos em três vistas para ambas as opções de decoração, em preto e azul. O material é mais modesto (papel sulfite, ao invés do couchê usado nos kits Profipack e superiores), mas também não se deve exigir esses luxos num kit supostamente de mais baixo custo. Objetivamente, as instruções deste kit são tão boas ou melhores do que o que vários fabricantes de ponta do mercado oferecem.

O Set Zoom SS520 (photoetch)

Esta nova folha em PE colorido é dedicada especialmente para o kit weekend do La-7 da Eduard (7425) relançado em 2014. À parte da disposição dos elementos, fundamentalmente tudo o que era oferecido na folha que acompanhava a antiga versão Profipack está lá: painel de controle, manetes e detalhes adicionais para as laterais do cockpit, pedaleira, retrovisor, pinças da suspensão do trem de pouso, grade do radiador, suporte das portas do trem de pouso, até um redundante jogo de cintos de segurança (já que o kit weekend agora vem com um jogo dos novos cintos em “superfabric”.

Um conjunto simples, objetivo e que agrega bastante valor ao modelo, especialmente se o modelista optar por deixar o canopi aberto.

O Conjunto de máscaras CX405

O elemento que faltava para completar o antigo kit Profipack agora é oferecido separadamente neste set de máscaras, que consiste em painéis pré-cortados em fita adesiva kabuki (ao invés das originais, que eram em vinil). Este conjunto facilita bastante o trabalho de pintura das transparências e das rodas e permite um trabalho não só rápido mas especialmente limpo.


Conclusão

Combinando os três elementos, o kit weekend, o PE e as máscaras, temos praticamente tudo o que o kit Profipack oferecia, à exceção da maior gama de opções de decoração. Isto certamente não faz muita diferença, pois os La-7 basicamente podiam ser encontrados em qualquer cor desde que fossem cinza claro/escuro sobre ventre azul claro. E escapamos do lugar-comum do avião do Kozhedub, que deve ser tema de 90% dos modelos de La-7 jamais montados...

Depois de algum tempo no Mercado, invariavelmente surgem críticas às simplificações que são feitas de modo a estabelecer um compromisso entre o “modelo perfeito” e a sua exequibilidade na escala, especialmente para modelistas menos experientes. Considero este kit bastante bom, especialmente se compreendido que ele está direcionado ao segmento “weekend”, mas de fato alguns melhoramentos serão necessários para se obter uma réplica em um patamar superior, atingido inclusive pela própria Eduard em outros kits nesta escala. Eis alguns dos pontos que mais me incomodaram:

- O interior do kit básico é demasiadamente simplificado. Não há praticamente nada nas laterais do cockpit, somente uma representação rústica da estrutura interna. A parte interna a ré do piloto é completamente vazia, exceto por uma garrafa que não existe em fotos que vi do original e ainda há uma marca de injeção que precisa ser lixada e emassada para não ficar visível. O conjunto de PE SS520 oferece alguns bons detalhes, embora nem todos sejam acurados conforme as mesmas fotos. A parte a ré do assento do piloto também não é contemplada pelo conjunto de PE. Eis um bom setor para ser coberto pela própria Eduard, com um interior completo e acurado em resina. Fica a sugestão!

- A peça corrediça do canopi que permitiria a montagem do cockpit aberto é muito espessa, não permitindo um o assentamento correto após um teste “a seco”. Para este caso seria necessário, pelo menos, adicionar uma seção corrediça em vacuform, por exemplo.

- Os porões das rodas do trem de pouso também são muito simplificados, e à exceção dos acionadores das portas centrais que vêm no conjunto PE SS520, nada mais é oferecido para acrescentar à área. Outra oportunidade para um Brassin, Eduard!

- A ventoinha que força o ar para o motor (localizada logo atrás da hélice) é muito pobremente detalhada. Mesmo a peça análoga de um kit menos avançado como o da Zvezda (do La-5FN) é melhor nesse sentido.

- Por fim, o preço. Um kit que foi oferecido no passado não tão remoto, em versão Profipack – com PE e máscaras e mais opções de decais - por pouco menos de US$ 9,95 agora está custando numa edição weekend, básica, quase US$ 17 no site da Eduard. Adicionando o PE e as máscaras chega-se a quase US$ 38, quase quatro vezes mais. Sim, este ainda é provavelmente o melhor La-7 que há no mercado, e pelo jeito há gente disposta a pagar este novo preço.

Procurando pela Web, encontrei alguns reviews de edições antigas deste kit que apontavam uma incorreção séria no formato das asas. Não sou especialista em Lavochkins a esse ponto, e fui buscar algumas referências. Comparando com desenhos tanto do ótimo livro de Miloš Veštšik sobre o La-7 (Veštšik, M. Lavočkin La-7. Ed. MBI, 2000, pg.18) quanto do Squadron In Action nº169 (pg.41), francamente, não vi nenhum problema significativo. Na minha humilde opinião, o kit está suficientemente correto neste aspecto.

Agora, vamos ver como ele monta...
Sempre aprendendo...
Eduardo

Voltar para “Montagens de modelos enviados para a APRJ - IPMS-RIO”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes