Spitfire Mk.XVIe TE476

meianoite2
Plastimodelista
Mensagens: 1310
Registrado em: 04 Out 2011, 14:56
Localização: Ilha do Governador, RJ

Spitfire Mk.XVIe TE476

Mensagempor meianoite2 » 24 Jul 2015, 15:50

Ainda rascunhado, depois subo mais algumas fotos, reviso este texto, etc.

Este tópico traz um pouco da história que serve de pano de fundo para um novo modelo que estou começando.
Como tem alguma pesquisa, acho que vale a pena compartilhar. Afinal, de uma forma ou de outra, todo modelo que a gente faz tem uma história por trás. Acho mesmo que eu gosto mais de pesquisar a história de um determinado avião, veículo ou personagem do que montar um kit...

O Spitfire XVI
O Spitfire XVI foi uma daquelas coisas imprevisíveis que acontecem com um projeto quando se é obrigado a adaptá-lo diante das circunstâncias. A evolução do Spitfire foi determinada pelas contingências impostas pela Guerra, que de forma implacável exigia ao mesmo tempo desempenho superior e produção em massa, baixo custo em termos de materiais, homens-hora, logística simples...
Um dos gargalos mais graves era a disponibilidade de motores, fornecidos pela rede de usinas que produziam os motores Rolls Royce. Logo no início da Guerra a Rolls Royce procurou fornecedores fora das Ilhas Britânicas, constantemente ameaçadas pela Luftwaffe. A escolha óbvia eram os Estados Unidos, que já colaboravam com a Grã-Bretanha fornecendo equipamentos e matérias-primas para o esforço de guerra.
Primeiramente a RR procurou a Ford Motor Company, ainda em 1940. Um estudo de viabilidade técnica chegou a ser feito, evidenciando as diferenças entre os métodos fabris de larga escala adotados em Detroit e a manufatura de precisão característica dos ingleses. Para ser fabricado nos Estados Unidos, o motor Merlin, com quase 14 mil peças, teria que ser praticamente todo redesenhado para atender às tolerâncias bem mais estritas adotadas pelos americanos, que não confiavam como os ingleses em operários superespecializados, os fitters, que ajustavam cada motor praticamente a mão. Os americanos usavam máquinas, linhas de montagem e operários menos qualificados, mas produziam em grandes quantidades máquinas de qualidade comparável às inglesas com custos bem menores.
As negociações com a Ford foram interrompidas, segundo consta, pela intervenção do próprio Henry Ford, que preferia manter os EUA fora da Guerra e se recusava a intervir no conflito fornecendo armamentos a potências estrangeiras.
O Plano B era a Packard, fabricante então de alguns dos mais prestigiados e luxuosos automóveis de Detroit. A Packard aceitou o desafio e não só “reprojetou” o Merlin como estabeleceu uma sólida parceria com a Rolls Royce no desenvolvimento do motor. Dessa parceria surgiram versões que equiparam Lancasters, P-40s, Mosquitos, Mustangs – e Spitfires.
O Spitfire XVI surgiu da adaptação da versão Packard do Merlin 66 (que recebeu a denominação Merlin 266) ao Spitfire IX que já estava em produção. A adaptação era relativamente simples, exigindo apenas algumas conexões diferentes, um capô específico para acomodar o intercooler que tinha um formato diferente e só. Montados, o IX e o XVI eram praticamente indistinguíveis, embora os conjuntos motores tivessem várias peças não intercambiáveis, o que justificava a atribuição de “marks” diferentes para não criar problemas de logística na manutenção das aeronaves. A produção de ambas as versões foi feita concomitantemente na grande fábrica de Castle Bromwich.
O Mk.XVI era uma versão especialmente desenvolvida para operações em baixas altitudes, para as quais o Merlin 266 foi especialmente desenvolvido. Foi muito usado pela 2nd Tactical Air Force em missões de ataque ao solo, muitas vezes lançando mão de bombas e foguetes ar-terra. As missões de interceptação, cada vez menos frequentes, eram confiadas a outras versões de Spitfires, notadamente os Mk.IX e mais para o final da Guerra os Mk.XIV com motores Griffon.

O TE476
Uma escolha um tanto incomum para um projeto de modelismo é tentar reproduzir um avião “de museu”. Normalmente essas peças procuram, dentro do possível, reproduzir com máxima fidelidade objetos que foram efetivamente usados em circunstâncias reais, mas é muito normal que algo não seja 100% historicamente acurado. Ainda mais no caso de uma máquina complexa e diversa como um Spitfire.
O Museu Fantasy of Flight é uma das maiores coleções privadas de aviões históricos do mundo. Fica na Florida, EUA, entre Orlando e Tampa Bay, bem próximo do complexo Disney-Epcot. Pertence ao milionário americano Kermit Weeks, um apaixonado por aviação que foca a sua coleção em aviões que estejam, dentro do possível, em condições de voar, ao contrário da maioria dos museus que mantêm suas aeronaves apenas como peças estáticas. O acervo de Weeks foi duramente castigado pela passagem do Furacão Andrew em 1992 e boa parte do projeto sofreu atrasos importantes por conta dos reparos que se fizeram necessários.
Pouco antes Weeks tinha adquirido um Spitfire para a sua coleção.
O TE476 foi construído em Castle Bromwich e entregue em junho de 1945. Depois de passar por várias unidades na RAF sem nunca ter entrado em combate foi cedido ao Battle Of Britain Memorial Flight em 1958. Acidentado em 1960, foi reparado e colocado em exposição na entrada da base de Neatished até 1967. Fez uma aparição no filme Battle of Britain em 1968, e retornou ao papel de guardião de portaria até 1988, em Northolt.

Imagem

Imagem
O TE476 guandando o partão de Northolt, 1969

Entre 1988 e 90 pertenceu à Historic Flying Ltd, quando foi vendido para a coleção de Weeks. Nos EUA recebeu o registro americano N476TE. Danificado pelo Andrew, foi despachado para reparos na Inglaterra em 92, de onde voltou em 95. Deixou de voar em 1998, após um problema no trem de pouso.
É atualmente considerado o Spitfire com maior índice de peças originais do mundo. Em janeiro de 2015, após 17 anos, o seu Merlin voltou a funcionar. O video abaixo mostra o próprio Weeks reativando a sua máquina, que segundo ele voltará aos céus em breve.


Aparentemente Weeks deixou o motor “afogar”, uma coisa não muito infrequente com Merlins. Haja bateria... lá pelo meio do filme o motor finalmente pega, e funciona maravilhosamente.

Algumas fotos recentes do TE476 (Wikimedia Commons):

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

O TB900 “Winston Churchill”, GE-D, RAF 349 Sqn (Belgian)
Nas mãos de Weeks o TE476 recebeu um esquema de pintura um pouco mais marcante, com uma nose art, coisa relativamente rara em Spitfires da RAF. Ele escolheu representar um avião do Esquadrão belga 349, o LF.16 TB900/GE-D "Winston Churchill". Esta aeronave era a montaria pessoal do ás Raymond "Cheval" Lallemant (1919-2008) no final da Guerra. Batizado “Winston Churchill”, ostentava o código GE-D e as marcas de vitória de Lallemant: 6 aviões alemães e 12 carros de combate.
O TB900 foi entregue no início de 1945 e a pintura representa-o no final da Guerra, quando estacionado em Fassberg. O 349 foi transferido para a Força Aérea Belga em 1946, e o TB900 foi junto, recebendo cocares belgas preto-amarelo-vermelho. Em algum momento a camuflagem do TB900 foi removida e o avião foi destacado para apresentações. Pouco depois, sofreu um acidente num pouso e foi descarregado. Enfim, o TB900 original não existe mais há décadas.

Imagem
uma das últimas fotos do TB900, com a pintura sendo removida

Imagem
Outra, com ele já no metal natural, ao fundo

O avião original tinha algumas características diferentes do avião que hoje está no Fantasy of Flight. A principal delas é o conjunto de rodas de 3 raios, mais adequado às pistas pavimentadas modernas das quais o TE476 opera. O TB900 tinha as rodas de 4 raios e a asa sem as “bolhas”. Aliás, até uma reforma recente o TE476 também era assim...
Mas o que me importa é o avião que está hoje no museu, e que brevemente estará de volta aos céus.
É este o modelo que estaremos montando nas próximas semanas!
Siga a montagem aqui: http://www.aprj.com.br/forum/viewtopic.php?f=16&t=5527


Referências:
https://www.google.com.br/search?q=spitfire+TE476&gws_rd=cr&ei=ximyVe7pI8mHwgTh4LuYBA
http://www.warbirdregistry.org/spitregi ... te476.html
https://www.flickr.com/photos/acres-n-acres/2220482739
https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_s ... _Spitfires
http://forum.keypublishing.com/showthre ... r-17-Years
https://en.wikipedia.org/wiki/349th_Squadron_(Belgium)
http://www.belgian-wings.be/Webpages/Na ... 0GE-D.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Kermit_Weeks
https://en.wikipedia.org/wiki/Fantasy_of_Flight
http://www.fantasyofflight.com/
https://www.google.com.br/maps/search/P ... m2!2m1!4b1
http://fofcollection.com.php54-2.dfw1-1 ... ire-mk-16/
https://en.wikipedia.org/wiki/349th_Squadron_(Belgium)
http://www.belgian-wings.be/Webpages/Na ... 0GE-D.html
http://www.raf.mod.uk/history/349squadron.cfm
http://www.rafweb.org/Squadrons/Sqn330-352.htm#349
https://commons.wikimedia.org/wiki/Cate ... ire_(TE476)_at_Fantasy_of_Flight



:ok
Sempre aprendendo...
Eduardo

Voltar para “Supermarine Spitfire”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante